Há mais de 14 anos trabalhando com mídias
     

Ao contrário da mídia digital, as fitas de vídeo estão sujeitas ao mofo que, com o tempo, vai danificando cada vez mais o cassete. Chega um momento em que as fitas ficam deterioradas e isso ocorre por causa do material que oxida, enferruja não servido mais pra visualizar as cenas gravadas. As perdas são irreversíveis. Por isso, quanto mais cedo você converter seus arquivos, melhor. As imagens que você tem de sua família e de outros eventos possuem um valor importante, muito mais do que um objeto que se compra nas lojas.

O fim da era analógica

 A mudança dos aparelhos analógicos ocorreu na década passada, entre 2003 a 2007. Aos poucos, esses aparelhos, como é o caso do toca fitas K7, foi retirado do mercado. Dentro do micro system, que é um equipamentos de som, ainda vinha com ele esse drivers de fitas, junto com o cd-player. Mas por volta de 2004, a fita K7 foi retirada e os equipamentos passaram a ser fabricados somente para tocarem os cd's. Depois foi incorporado ainda a porta USB, dando um sentido mais prático ao usuário.  

Já os aparelhos de vídeocassete, que durante algum tempo era utilizado, teve sua retirada do mercado, no Brasil, mais ou menos em 2006. Foram aos poucos extinguidos, dando lugar ao aparelho externo de DVD, conectado a uma TV. Nessa época, sofriamos de um problema de incompatibilidade de leitura, em que algumas mídias (discos) não eram tocadas naqueles aparelhos.

Algumas observações

A conversão das fitas VHS analógicas para uma mídia digital, não significa dizer que a qualidade da gravação fique a mesma que um DVD industrial, comprado na loja. Durante a conversão sofre, inclusive, uma sensível perda de qualidade, o que não é prejudicial a gravação. Além disso, a qualidade de uma fita é inferior ao Dvd. Portanto, a aparência de uma imagem analógica em uma tela de LCD ou LED pode causar certa estranheza ao observador, acostumado a ver hoje imagens de alta definição na TV digital. Também alertamos que a fragilidade do DVD pode ser até maior do que a fita, caso não se tenham os cuidados, pois o disco pode arranhar e mesmo oxidar por causa de manchas. O cliente deve ter o cuidado de guardar o disco na capa, sempre na posição vertical, evitar poeiras, gorduras, arranhões e exposição direta no sol. Deve pegar a mídia pelos cantos e no orifício do disco. Com o tempo, deve examinar se existem manchas ou início de deterioração e se possível fazer cópias. As vezes uma máquina de limpeza de disco pode ajudar a retirar os arranhões. Essa máquina você encontra aqui em nosso estúdio. Nunca limpe um disco fazendo um giro nele, e sim do centro do orifício em linha reta para as extremidade.

 

 

 

aparelho de limpeza de fitas VHS, Mini DV, e outras

aparelhos de videocassete


 


     

 

Fones: (98) 31991202 / (98) 988070065 majomcosta@hotmail.com telamidia@uol.com.br